Home Data de criação : 08/12/26 Última atualização : 11/10/17 11:14 / 2566 Artigos publicados

MULTIPLICAÇÃO DOS PÃES  (Estudos Bíblico) escrito em segunda 19 janeiro 2009 22:05

Blog de falandoseriotv :FALANDO SÉRIO, MULTIPLICAÇÃO DOS PÃES

MC 6.34-44

Pr. José Antônio Corrêa

"34 Ao desembarcar, viu Jesus uma grande multidão e compadeceu-se deles, porque eram como ovelhas que não têm pastor. E passou a ensinar-lhes muitas coisas. 35 Em declinando a tarde, vieram os discípulos a Jesus e lhe disseram: É deserto este lugar, e já avançada a hora; 36 despede-os para que, passando pelos campos ao redor e pelas aldeias, comprem para si o que comer. 37 Porém ele lhes respondeu: Dai-lhes vós mesmos de comer. Disseram-lhe: Iremos comprar duzentos denários de pão para lhes dar de comer? 38 E ele lhes disse: Quantos pães tendes? Ide ver! E, sabendo-o eles, responderam: Cinco pães e dois peixes. 39 Então, Jesus lhes ordenou que todos se assentassem, em grupos, sobre a relva verde. 40 E o fizeram, repartindo-se em grupos de cem em cem e de cinqüenta em cinqüenta. 41 Tomando ele os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou; e, partindo os pães, deu-os aos discípulos para que os distribuíssem; e por todos repartiu também os dois peixes. 42 Todos comeram e se fartaram; 43 e ainda recolheram doze cestos cheios de pedaços de pão e de peixe. 44 Os que comeram dos pães eram cinco mil homens".

 

INTRODUÇÃO:

1. Durante o seu ministério terreno, Jesus, quase sempre esteve cercado por verdadeiras multidões, cujos integrantes possuíam as mais variadas necessidades.

2. Muitas eram as razões que levavam pessoas a procurar Jesus:

a) Alguns o procuravam em busca de cura, de milagres, manifestações;

b) Outros, porque admiravam seus ensinos, porque Ele ensinava com uma autoridade jamais vista num homem, Mt 7.29, "porque ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas";

c) Outros porque eram movidos, simplesmente por curiosidade, etc.;

d) Jesus mesmo disse após a realização do milagre que vamos analisar, a razão porque aquela grande multidão o procurava: "Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: vós me procurais, não porque vistes sinais, mas porque comestes dos pães e vos fartastes", Jo 6.26.

3. Nesta ocasião do milagre da "primeira multiplicação dos pães", Jesus tinha à sua volta cerca de cinco mil pessoas, sem contar mulheres e crianças. Durante o episódio, podemos ver alguns aspectos do seu ministério terreno:

 

I. SUA COMPAIXÃO

VS. 34

"Ao desembarcar, viu Jesus uma grande multidão e compadeceu-se deles, porque eram como ovelhas que não têm pastor."

1. Jesus poderia ter-se mostrado irritado pelo assédio da multidão, ou até mesmo se sentir como um político influente, sem realmente se interessar pelos problemas do povo.

2. Porém, diz a Palavra de Deus, que Ele compadeceu-se da multidão. Para o Senhor aquelas pessoas, eram como ovelhas que não têm pastor, uma qualificação de vidas errantes, marginalizadas pela sociedade daquele tempo. Ainda hoje há multidões que vivem à margem da sociedade clamando por um pedaço de pão. Não é por acaso que os lixões servem de fonte de alimentação para tantas famílias.

a) Estava "a mercê" dos ataques satânicos. Satanás usa as grandes aglomerações para promover discórdias, badernas, insurreições, etc. Muitas tragédias na história da humanidade ocorreram em aglomerações, da mesma forma que tem acontecido em nossos dias. É do nosso conhecimento o fato de que muitas passeatas, comícios, aglomerações em estádios de futebol, terminam em pancadaria, em confrontação com a polícia, com um saldo de mortos e feridos, muitas vezes alarmantes;

b) Jesus demonstrou sua compaixão, agindo em favor deles. A palavra "compaixão", vem do substantivo grego, "splagcnizomai" - splagchnizomai, que significa no original "os intestinos", "as entranhas". Para os antigos os intestinos eram a sede das emoções. Esta palavra indica: "amor", "simpatia", "afeição", "misericórdia", etc. O presente relato de Marcos nos informa que Jesus se "comoveu profundamente" pelos componentes daquela multidão, o que era uma sensibilidade comum no Mestre, também demonstrada em outras ocasiões. Como Jesus demonstrou sua compaixão?

b.1) Curando seus enfermos, Mt 14.14, "Desembarcando, viu Jesus uma grande multidão, compadeceu-se dela e curou os seus enfermos". Normalmente o Dom de Curar, está associado a uma comoção interior daquele que ora pelo enfermo. Esta comoção foi vista em Cristo um pouco antes da ressurreição de Lázaro, um dos maiores milagres de todo o Novo Testamento, Jo 11:33, "Jesus, vendo-a chorar, e bem assim os judeus que a acompanhavam, agitou-se no espírito e comoveu-se". Como Igreja de Deus devemos praticar a cura ensinada pelo Senhor e libertarmos em nome de Jesus os enfermos;

b.2) Ensinando a Palavra de Deus, Vs. 34, "E passou a ensinar-lhes muitas coisas". Diz um determinado provérbio: "De nada adianta dar pão, sem ensinar a ganhá-lo". O ensino da Palavra de Deus certamente tornará o homem independente em relação à sociedade, ainda que dependente de Deus. Devemos ser dependentes de Deus, mas nunca dependentes dos homens. É responsabilidade de cada um de nós praticar os ensinos da Palavra de Deus e também ensiná-los ao mundo.

3. Vejamos alguns exemplos na Palavra de Deus sobre a maneira de Jesus agir:

a) Jesus demonstrou compaixão e ação, Mt 9.35-36, "35 E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades. 36 Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não têm pastor". Ter compaixão e não mover a mão, é hipocrisia! Infelizmente esta é a posição de muitas pessoas que choram aparentemente comovidas, mas nada fazem para aliviar a dor alheia. Outros fazem apenas para promoção pessoal, ou até mesmo para tirar vantagem, Mt 23.14, "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque devorais as casas das viúvas e, para o justificar, fazeis longas orações; por isso, sofrereis juízo muito mais severo!" Precisamos, não somente demonstrar que estamos comovidos pelos carentes, mas também fazer algo para aliviar suas dores;

b) Jesus demonstrou compaixão por uma mãe em desespero, Lc 7.13, "Vendo-a, o Senhor se compadeceu dela e lhe disse: Não chores!" A presente passagem das Escrituras relata o cortejo fúnebre pela morte do único filho de uma viúva numa cidade chamada Naim. Quando Jesus viu a dor daquela mãe, sentiu-se grandemente comovido, e foi levado pelo Espírito de Deus a fazer um grande milagre em seu ministério, que foi a ressurreição daquele rapaz;

c) Jesus demonstrou compaixão na cura de uma doença terrível, a lepra, Mc 1.40-41, "Aproximou-se dele um leproso rogando-lhe, de joelhos: Se quiseres, podes purificar-me". Dos doentes que possuíam doenças contagiosas, o leproso era o pior deles, uma vez que o leproso era declarado imundo pelo sacerdote, em virtude do alto grau de contaminação que envolve a lepra, hoje conhecida como Mal de Hansen, Hanseníase. Esta doença é uma doença que provoca uma infecção crônica e que apodrece a pele tornando-a insensível, implicando muitas vezes, na perda de dedos, mãos, pés, etc. Por esta razão, o leproso era confinado à comunidades isoladas, separadas, formadas com pessoas que possuíam a mesma doença, fora das cidades e longe do convívio com sua família.

4. Jesus tem compaixão de ti.

 

II - SUA AÇÃO NA SOLUÇÃO DO PROBLEMA

1. A idéia dos discípulos, Vs. 35-36, "35 Em declinando a tarde, vieram os discípulos a Jesus e lhe disseram: É deserto este lugar, e já avançada a hora; 36 despede-os para que, passando pelos campos ao redor e pelas aldeias, comprem para si o que comer". Solução fácil, mas contrária à vontade de Deus. Deus não está à procura de "idéias razoáveis", mas de soluções que são tomadas em linha direta com a direção do Espírito Santo. Cada um podia cuidar de si mesmo, mas Jesus podia cuidar de todos!

2. A solução de Jesus se choca com a posição dos apóstolos, Vs. 37, "Porém ele lhes respondeu: Dai-lhes vós mesmos de comer. Disseram-lhe: Iremos comprar duzentos denários de pão para lhes dar de comer?" Muitas vezes os planos de Deus não são entendidos pelos homens por uma razão simples: "8 Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR, 9 porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos", Is 55.8-9.

a) Eles não tinham os duzentos denários necessários, o que era considerada uma soma alta, para um grupo sem recursos financeiros. Um denário era o salário pago a um trabalhador braçal por um dia de serviço, Jo 6.5-7, "5 Então, Jesus, erguendo os olhos e vendo que grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pães para lhes dar a comer? 6 Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que estava para fazer. 7 Respondeu-lhe Filipe: Não lhes bastariam duzentos denários de pão, para receber cada um o seu pedaço. Muitas vezes, nós também, nos encontramos em situações insolúveis, Sl 18.4-6, "4 Laços de morte me cercaram, torrentes de impiedade me impuseram terror. 5 Cadeias infernais me cingiram, e tramas de morte me surpreenderam. 6 Na minha angústia, invoquei o SENHOR, gritei por socorro ao meu Deus. Ele do seu templo ouviu a minha voz, e o meu clamor lhe penetrou os ouvidos";

b) Jesus manda fazer um levantamento das provisões e elas são mínimas, Vs. 38, "E ele lhes disse: Quantos pães tendes? Ide ver! E, sabendo-o eles, responderam: Cinco pães e dois peixes". Estas provisões pertenciam a menino, Jo 6.9, "Está aí um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas isto que é para tanta gente?" O que fazer com tão pouco? Um detalhe importante é a presença daquele menino, cujo nome não é nem citado, mas que teve uma grande participação no milagre realizado por Jesus. Deus opera muitas vezes através de pessoas anônimas, e não de figurões! Lembremos da menina na casa de Naamã, que foi usada para a cura de sua lepra, do centurião romano que orou pela cura de seus criado; e de muitos outros "sem nome", através dos quais os milagres de Deus foram realizados;

c) Jesus organizou a multidão, Vs. 39-40, "39 Então, Jesus lhes ordenou que todos se assentassem, em grupos, sobre a relva verde. 40 E o fizeram, repartindo-se em grupos de cem em cem e de cinqüenta em cinqüenta". Deus não pode operar na desordem e na bagunça, 1 Co 14.33, "porque Deus não é de confusão, e sim de paz. Como em todas as igrejas dos santos". Deus é organizado, coerente;

d) O grande milagre foi operado, Vs. 41-42, "41 Tomando ele os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou; e, partindo os pães, deu-os aos discípulos para que os distribuíssem; e por todos repartiu também os dois peixes. 42 Todos comeram e se fartaram; 43 e ainda recolheram doze cestos cheios de pedaços de pão e de peixe". Vejamos dois textos, que mostram que do nada Deus faz coisas:

- Rm 4.17, lemos que "Deus chama à existência as coisas que não existem": "...como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí.), perante aquele no qual creu, o Deus que vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem". O homem transforma o que tem na natureza, porém Deus cria coisas do nada;

- 1 Rs 17.8-15, "8 Então, lhe veio a palavra do SENHOR, dizendo: 9 Dispõe-te, e vai a Sarepta, que pertence a Sidom, e demora-te ali, onde ordenei a uma mulher viúva que te dê comida. 10 Então, ele se levantou e se foi a Sarepta; chegando à porta da cidade, estava ali uma mulher viúva apanhando lenha; ele a chamou e lhe disse: Traze-me, peço-te, uma vasilha de água para eu beber. 11 Indo ela a buscá-la, ele a chamou e lhe disse: Traze-me também um bocado de pão na tua mão. 12 Porém ela respondeu: Tão certo como vive o SENHOR, teu Deus, nada tenho cozido; há somente um punhado de farinha numa panela e um pouco de azeite numa botija; e, vês aqui, apanhei dois cavacos e vou preparar esse resto de comida para mim e para o meu filho; comê-lo-emos e morreremos. 13 Elias lhe disse: Não temas; vai e faze o que disseste; mas primeiro faze dele para mim um bolo pequeno e traze-mo aqui fora; depois, farás para ti mesma e para teu filho. 14 Porque assim diz o SENHOR, Deus de Israel: A farinha da tua panela não se acabará, e o azeite da tua botija não faltará, até ao dia em que o SENHOR fizer chover sobre a terra. 15 Foi ela e fez segundo a palavra de Elias; assim, comeram ele, ela e a sua casa muitos dias";

3. Se for necessário, Deus cria coisas a teu favor!

 

III - SUA LIÇÃO SOBRE ECONOMIA

VS. 43

"...e ainda recolheram doze cestos cheios de pedaços de pão e de peixe".

1. Existe uma linha finíssima entre a avareza e o desperdício. Deus não tolera a avareza, pois ela tem indícios de idolatria, Cl 3.5, "Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria", mas também, a Palavra de Deus condena o desperdício e a imprevidência:

- Pv 6.6-8, "6 Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio. 7 Não tendo ela chefe, nem oficial, nem comandante, 8 no estio, prepara o seu pão, na sega, ajunta o seu mantimento".

- Pv 10.5, "O que ajunta no verão é filho sábio, mas o que dorme na sega é filho que envergonha".

2. O fato dos apóstolos terem recolhido os pedaços de pão nos mostra uma lição de vida econômica importante. Muitos crentes não sabem usar o que Deus têm colocado em suas mãos, e acabam por desperdiçar, os bens recebidos do Senhor. Vejam o que a Palavra de Deus nos mostra em relação à esta verdade:

a) Tiago, Tg 4.3, "pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres". A palavra "esbanjar", vem do grego "dapanaw" – dapanao, cujo sentido é "consumir", "gastar em demasia", "desperdiçar". Não podemos "gastar", "esbanjar", o que recebemos de Deus em nossos deleites e prazeres. Necessitamos administrar com sabedoria, como mordomos fiéis os bens que nos foram confiados pelo Senhor, através de nossas orações.

b) Is 55.2, "Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor, naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom e vos deleitareis com finos manjares". O crente consumista compulsivo, inveterado, estará sempre incorrendo em miséria financeira. Lembre-se que o que "ajunta no verão é filho sábio...".

CONCLUSÃO

1. Jesus tem interesse em mudar sua condição de escassez em uma condição de abundância nesta noite Ele pode e quer multiplicar o teu pão, uma vez que Ele é o "Pão da Vida", Jo 6.35 – "Eu sou o Pão da vida. Aquele que vem a mim de modo nenhum terá fome, e quem crê em mim jamais terá sede". Passarão fome e dificuldades somente aqueles que não buscam o verdadeiro Pão que desceu do céu, o Senhor Jesus Cristo.

2. Porém, na medida em que Deus abençoá-lo, você deve aprender a gastar os recursos que Ele têm colocado em suas mãos. Muitos sofrem em período de escassez, porque não aprenderam a poupar em tempos de fartura. Um bom exemplo bíblico é o exemplo de José, que acumulou no Egito durante 7 anos de fartura, para prover durante 7 anos de miséria, Gn 41.29-36, "29 Eis aí vêm sete anos de grande abundância por toda a terra do Egito. 30 Seguir-se-ão sete anos de fome, e toda aquela abundância será esquecida na terra do Egito, e a fome consumirá a terra; 31 e não será lembrada a abundância na terra, em vista da fome que seguirá, porque será gravíssima. 32 O sonho de Faraó foi dúplice, porque a coisa é estabelecida por Deus, e Deus se apressa a fazê-la. 33 Agora, pois, escolha Faraó um homem ajuizado e sábio e o ponha sobre a terra do Egito. 34 Faça isso Faraó, e ponha administradores sobre a terra, e tome a quinta parte dos frutos da terra do Egito nos sete anos de fartura. 35 Ajuntem os administradores toda a colheita dos bons anos que virão, recolham cereal debaixo do poder de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem. 36 Assim, o mantimento será para abastecer a terra nos sete anos da fome que haverá no Egito; para que a terra não pereça de fome".

3. Pode ser que tua necessidade não seja de pão, de recursos financeiros, mas sim espiritual. Cristo sacia também nossa fome espiritual! "Ele veio para dar vida e vida com abundância", Jo 10.10.

voltar a sermões/estudos

www.proveg.com.br/igrejabatista

Compartilhar
1 Fan

Faça um comentário!

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.
Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (107.20.30.170) para se identificar     

Nenhum comentário
MULTIPLICAÇÃO DOS PÃES


Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para falandoseriotv

Precisa estar conectado para adicionar falandoseriotv para os seus amigos

 
Criar um blog