Home Data de criação : 08/12/26 Última atualização : 14/04/22 19:29 / 2567 Artigos publicados

O ministério de louvor na igreja  (Adoração e Louvor) escrito em terça 24 março 2009 22:15

Introdução:

 

Deus sempre gostou de música. Antes mesmo que o universo fosse criado, os Seus santos ouvidos estavam atentos à boa música (ver, Jó 38:4-7). Não bastassem os anjos para o louvar, Deus constrói toda uma natureza (ver, Salmo 69:34), e nós os seres humanos estamos incluídos, para o louvor Dele próprio.

Deus separou uma tribo inteira para o louvar e servir no tabernáculo (ver, Números cap. 4 e refs. ) Na época em que o rei Davi estava para passar o trono a seu filho Salomão, os levitas eram divididos em três classes diferentes, sendo estas, subdivididas em vinte e quatro ordens. A primeira classe eram os sacerdotes; a segunda era composta pelos cantores e músicos em geral; a última era composta pelos porteiros e guardas do templo (ver, 1 Crônicas caps 24, 25, 26). Os levitas se dedicavam exclusivamente ao trabalho para qual Deus os separara. Não tinham preocupações com trabalhos seculares, nem em construírem cidades, pois, o sustento e moradia destes homens era extraído das ofertas e dos dízimos que eram entregues pela nação de Israel (ver, Deuteronômio 14:22-29; Números 34:1-8).

A igreja de Cristo, vive nestes últimos anos, um período muito delicado em relação ao louvor e adoração através da música. A música é sem dúvida responsável por muitas pessoas se aproximarem de Cristo. Não é pequeno o número de pessoas que congregam em uma determinada igreja (Podemos observar, como exemplo, algumas comunidades cristãs ou evangélicas no Brasil e em muitos outros países), devido o louvor ser ali o "cartão de apresentação" ou a maior "atração" (No aspecto humano de conceituar as coisas, porque na realidade, Cristo deve ser o "cartão de apresentação" da igreja).

A grande pergunta que se faz em nossos dias é a seguinte: Que ligação há entre os levitas do Antigo Testamento com a igreja do Novo Testamento? Não é tão simples responder a esta pergunta. Quando se refere ao ministério musical, a quem acredite que o ministério dos levitas ficou no tempo com o surgimento da igreja cristã. Por outro lado, os que levam bem mais a sério a questão do "ser chamado por Deus", e tomam como exemplo os levitas, obtêm melhores resultados, e, assim, conduzem um melhor louvor, resultando uma melhor edificação da igreja.

Este estudo e destinado a quem reconhece que o ministério de louvor é bem mais sério do que muitos pensam. Assim como os evangelistas devem ser usados por Deus na propagação do evangelho, da mesma sorte, devem ser dominados os músicos e cantores que dedicam este talento na obra do Senhor.

 

 

***

 

1. É necessário uma consagração específica de pessoas para o ministério de louvor?

 

"Também Davi, juntamente com os capitães do exército, separou para o serviço alguns dos filhos de Asafe, e de Hemã, e de Jedútum, para profetizarem com harpas, com alaúdes, e com címbalos. Este foi o número dos homens que fizeram a obra segundo o seu serviço: dos filhos de Asafe: Zacur, José, Netanias e Asarela, filhos de Asafe, a cargo de Asafe, que profetizava sob as ordens do rei. De Jedútum, os filhos de Jedútun: Gedalias, e Zeri, Jesaías, Hasabias e Matitias, seis, a cargo de seu pai, Jedútum, que profetizava com a harpa, louvando ao Senhor e dando-lhe graças. De Hemã, os filhos de Hemã: Buquias, Matanias, Uziel, Sebuel, Jerimote, Hananias, Hanâni, Eliatá, Gidálti, e Românti-Ezer, Josbecasa, Malóti, Hotir e Maaziote.

Todos estes foram filhos de Hemã, o vidente do rei, segundo a promessa de Deus de exaltá-lo. Deus dera a Hemã catorze filhos e três filhas. Todos estes estavam sob a direção de seu pai para a música na casa do Senhor, com címbalos, alaúdes e harpas para o serviço da casa de Deus.

E Asafe, Jedútun e Hemã estavam sob as ordens do rei. Era o número deles, juntamente com seus irmãos instruídos em cantar ao Senhor, todos eles mestres, duzentos e oitenta e oito"(1 Crônicas 25:1-7).

 

Este texto bíblico não deixa dúvidas de que os músicos devem ser pessoas consagradas para este ministério ou serviço específico. Davi entendia muito bem de música (ver, 1 Samuel 16:17-18), sabia das responsabilidades, dos resultados (1 Samuel 16:23). Alguns detalhes devem serem observados neste texto bíblico, que aos que se dedicam ao ministério específico do louvor devem saber:

 

1º ) Nem todos são separados.

 

"... separou para o serviço alguns dos filhos de Asafe, e de Hemã, e de Jedútum... " (1 Crônicas 25:1)

 

Este detalhe deve ser destacado. Apenas alguns foram escolhidos para o ministério do louvor. Isto não é assim por vontade de homens. Dentro da igreja cristã o Espírito de Deus capacita homens e mulheres para os mais variados ministérios existentes na obra (ver, 1 Coríntios 14:26; 2 Coríntios 12:5-6; Romanos 12:4-8).

Quando penso em Davi escolhendo e convocando os músicos, imagino o quanto foi difícil a tarefa. Deus, já a alguns anos, fez brotar em meu coração o desejo de formar, não simplesmente um grupo de louvor, mas, sim, um ministério específico de louvor, com o objetivo de conduzir a igreja ao mais sincero desejo de louvar a Deus. Durante anos eu me pus a orar por este objetivo. Algumas frustrações (sem explicações na época, mas compreendidas com muita clareza hoje) de formar grupos musicais, me levavam a pensar em desistir dos meus ideais. Depois de algum tempo, pude perceber que Deus estava aprovando os meus ideais.

Comecei a orar pedindo que Deus me mostrasse quais as pessoas que Ele queria no ministério do louvor. Cada detalhe deveria ser observado na escolha; começando por mim, o líder, até os componentes do grupo. Todos deveriam estar entre os "alguns dos filhos de Asafe, e de Hemã, e de Jedútum".

Os que fazem parte do ministério de louvor devem dar glória a Deus por serem separados para este trabalho. E quando se tem convicção do chamado os resultados são extremamente positivos. E isto não se aplica somente neste ministério, mas em todos os outros. A equipe de evangelismo só poderá ganhar as almas se existir convicção do chamado para o ministério de evangelização.

2º) Não é simplesmente tocar e cantar.

 

"... para profetizarem com harpas, com alaúdes, e com címbalos..." (1 Crônicas 25:1)

 

Alguns músicos deixam de serem úteis na obra porque querem apenas tocar e cantar. O chamado e para profetizar! E isto é muito sério porque exige um preparo todo especial. Primeiro um preparo espiritual. Observe as palavras do Apóstolo Paulo que diz: "E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós em salmos, hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração, sempre dando graças por tudo a Deus, o Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo" (Efésios 5:18-20). Eis um detalhe que muitos músicos esquecem. Antes de louvarmos ao Senhor, devemos estar cheios do Espírito de Deus. A expressão "falando entre vós", usada pelo Apóstolo, dá a mesma idéia da expressão "profetizarem com harpas... " usada no livro de Crônicas.

O segundo preparo deve ser o compromisso e permanência com a Palavra de Deus (ver, Colossenses 3:16). O Senhor Jesus disse as seguintes palavras: "Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:31-32). O Apóstolo Pedro nos faz lembrar algo importante, observe: "Tendo renascido, não de semente corruptível, mas de incorruptível, pela palavra de Deus, a qual vive e permanece. Porque: Toda a carne é como a erva, e toda a sua glória como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que vos foi evangelizada" (1 Pedro 1:23-25). Uma das principais causas de tantos fracassos na música em algumas igrejas, é o fato de que os componentes do grupo musical se esquecem totalmente da Palavra de Deus. Um dia, conversando com um pastor amigo meu, pude perceber que na igreja que ele pastoreava isto acontecia. Algum tempo depois este pastor se viu obrigado a colocar quase toda a equipe de louvor da igreja "no banco". Isto virou um hábito tão negativo, que muitos dos que estão envolvidos com a música, sequer levam a Bíblia para a igreja.

Um compromisso deve ser colocado em nossos corações, ministrar o louvor é ministrar a Palavra de Deus. Todos os envolvidos com esta obra devem viver no domínio do Espírito e no conhecimento da Palavra de Deus.

Mas afinal, como profetizar com a música? O que é canto profético? A resposta a esta pergunta é algo mais ou menos assim:

 

Um ou mais versículos da Bíblia cantado; uma letra composta totalmente relacionada com a Bíblia; uma canção que pode conduzir a igreja ao pleno conhecimento da vontade de Deus; um cântico inspirado num clímax de adoração (Cânticos espirituais); sendo tudo isto com o propósito de edificar a igreja (ver, 1 Coríntios 14:3).

 

Alguns exemplos dos resultados do louvor visto como uma profecia:

 

  1. Manifesta a presença de Deus, (Salmo 22:3).
  2. Libera a Palavra de Deus, (2 Reis 3:15-16).
  3. Traz a cura de Deus, (Provérbios 17:22; Tiago 5:13).
  4. Libera fé real em Deus que conduz à salvação, (Atos 16:25-31).
  5. Libera uma alegria incomum, (Isaías 30:29).
  6. Produz milagres sobrenaturais, (Atos 16:25-31).
  7. Gera temor nos corações, (Efésios 5:21; Salmo 40:3).
  8. Atua num ambiente de comunhão, (Mateus 26:29-30).

 

3º) Deve existir obediência.

 

"Todos estes estavam sob a direção de seu pai para a música na casa do Senhor, com címbalos, alaúdes e harpas para o serviço da casa de Deus. E Asafe, Jedútun e Hemã estavam sob as ordens do rei" (1 Crônicas 25:6).

 

Um outro ensinamento que pude extrair deste texto bíblico, me faz perceber o quanto devo ser obediente, não somente à Deus, mas, também ao meu líder na igreja. Só posso exigir que os meus liderados me considerem, se eu primeiramente considerar o meu líder (O Pastor). O Espírito de Deus não pode agir na vida de uma pessoa desobediente e indisciplinada (ver, Gálatas 5:16-26). Não pode haver uma equipe de louvor (Prefiro a expressão "Ministério de Louvor") que ministre o louvor segundo à vontade de Deus, se os seus componentes viverem como quiserem; sem compromisso algum. Por esta razão, os levitas da igreja devem viver em total disciplina. Obedecer os horários; dar bom testemunho; não faltar sem motivo aos trabalhos da igreja; se relacionar bem com todos os irmãos na fé e com os familiares e amigos; etc.

4º) Deve existir um bom preparo.

 

"Era o número deles, juntamente com seus irmãos instruídos em cantar ao Senhor, todos eles mestres, duzentos e oitenta e oito"(1 Crônicas 25:7).

 

Entre os escolhidos para o ministério do louvor, estavam os melhores naquilo em que faziam. Observe as expressões usadas: "instruídos em cantar" e "todos eles mestres". Podemos perceber que Deus gosta do melhor para Ele. O louvor quando é bem preparado atrai a presença de Deus até o local de adoração (ver, 2 Crônicas 5:13-14). Esta é uma das razões porque o grupo de louvor não pode ser aleatório, sujeito ao acaso.

O grupo deve ser composto sempre pelas mesmas pessoas para que haja um bom entrosamento musical. Acredite, não há outra forma de qualidade musical para uma realidade como a igreja brasileira, onde, a grande maioria dos músicos evangélicos não conhecem partituras musicais.

Nunca estive tão convencido desta realidade como estou hoje. A quem não concorde muito com esta idéia, mas, Deus a cada dia me convence desta verdade.

Um detalhe que deve ser observado, é o fato de que os melhores para Deus, não são separados de acordo com a nossa concepção de melhor. A capacidade deve vir Dele, e não de nós mesmos. Pode ser que na congregação exista um vocalista sem igual; porém, lá no seu íntimo, algo desagrada a Deus, e por esta razão as oportunidades não surgem. Quando alguém quer fazer parte do grupo de louvor e pensa que não tem lugar para ele, o meu conselho é o seguinte: Ore ao Senhor sobre este assunto, porque se estiver dentro do plano de Deus este chamado, quem poderá impedir? Ninguém!

 

2. Como deve ser expressado o louvor a Deus?

 

Muito se discute a maneira de se manifestar o louvor a Deus. Qual deve ser o comportamento no momento do louvor? Qual tipo de música cantar? Que tipo de instrumento musical devemos usar? Pode haver gestos de coreografia e danças? Pode-se bater palmas? As respostas serão dadas dentro do possível. O que complicam um pouco são as opiniões formadas; que sempre prejudicam a obra do Senhor.

1º) Qual deve ser o comportamento no momento do louvor?

 

O comportamento do crente ao louvar o Senhor deve ser primeiramente de submissão à vontade de Deus. Toda minha vontade deve ser colocada dentro de uma caixa e enviada para o mais longe possível, quando vou adorar e louvar a Deus. Um exemplo de submissão à vontade de Deus foi o chamado de Moisés. Ele ainda não sabia o que o esperava e dizia consigo mesmo: "Agora me virarei para lá e verei esta maravilha, e porque a sarça não se queima" (Êxodo 3:3).

Sempre no primeiro instante queremos fazer a nossa vontade. Moisés poderia saber o que se passava com a sarça que não se consumia; porém, não da forma como ele queria, mas, sim, como Deus planejou. "E vendo o Senhor que ele se virara para ver, chamou-o do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés! Respondeu ele: Eis-me aqui. Prosseguiu Deus: Não te chegues para cá; tira os sapatos dos pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa" (Êxodo 3:4-5). Moisés teve que obedecer a vontade de Deus dizendo "eis-me aqui". Essa deve ser a nossa atitude, simplesmente estarmos dispostos a obedecer à vontade de Deus.

Um outro comportamento que devemos ter no momento do louvor é a de alegria exultante. "Um cântico haverá entre vós, como na noite em que se celebra uma festa santa; e alegria de coração, como a daquele que sai ao som da flauta para vir ao monte do Senhor... " (Isaías 30:29). Uma expressão de alegria deve estar transpassada no momento do louvor.

 

 

2º) Qual tipo de música cantar no louvor?

 

"Cantai ao Senhor um cântico novo, cantai ao Senhor, todos os moradores da terra" (Salmo 96:1).

 

"Cantai ao Senhor um cântico novo, porque ele tem feito maravilhas; a sua destra e o seu braço santo lhe alcançaram a vitória" (Salmo 98:1).

 

Podemos conceituar música objetivamente da seguinte maneira: Música é a arte em que os sons formam, um todo homogêneo e ideal.

A origem da música foge dos limites humanos. Não existe dúvida que Deus criou a música (ver, João 1:3). A música vem de Deus, portanto, não existe música criada pelo diabo. Quando Deus criou esta arte, o seu objetivo, era que os anjos e toda a criação o louvassem.

Diante desta verdade, é possível existir a chamada música "profana"? No sentido técnico, eu afirmo que não. Não é o ritmo, melodia, ou harmonia que define se esta ou aquela música é ou não profana. Se a música estiver fundamentada em Deus, define-se como sendo adequada para o louvor. Podemos chamar de música profana, a música que tem sua origem sem nenhum fundamento em Deus, independente do ritmo, da melodia, e da harmonia.

Alguns estilos musicais foram totalmente distorcidos por Satanás (Punk, ou rock pesado, o chamado "heavy metal") e hoje, suas influências não são positivas. O mais sensato é evitar o uso destes estilos na celebração do louvor, pois podemos bloquear a ação do Espírito Santo, devido a uma provável rejeição da congregação (lembre-se, não há somente jovens e adolescentes na reunião).

Anos atrás, quando liderava um grupo musical chamado "Terra de Jó", muitas canções eram compostas por mim e por outros componentes do grupo. O conjunto "Terra de Jó" não cantava músicas de "terceiros". Hoje, eu me recuso a cantar algumas músicas que brotaram naquela época. Justifico a minha recusa da seguinte maneira: Algumas canções, mesmo que aos olhos humanos eram aceitáveis, entendo como profanas para o louvor congregacional. Estas canções são totalmente demagógicas, porque a verdadeira intenção não era o de louvar ao Senhor. Havia muito pecado escondido. Como eu não tinha experiência, e, na realidade, preparo, não percebia o que acontecia. Hoje percebo o porque o "Terra de Jó" não prevaleceu.

 

O que Deus não aceita é demagogia dos adoradores:

 

"Por isso o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas tem afastado para longe de mim o seu coração, e o seu temor para comigo consiste em mandamentos de homens, aprendidos de cor" (Isaías 29:13)

 

3º) Que tipo de instrumento musical devemos usar?

 

"Louvai-o ao som de trombeta; louvai-o com saltério e com harpa! Louvai-o com adufe e com danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flauta! Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes! Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor! (Salmo 150:3-6)

 

O primeiro instrumento recomendado na Palavra é a voz (ver, Salmo 147: 1 e refs). Depois, toda a sorte de instrumentos disponíveis na cultura local.

A nação de Israel conhecia os mais variados tipos de instrumentos musicais, e todos eles, eram usados para o louvor do Senhor. No livro de Gênesis, encontramos, o que muitos acreditam, ser o nome do inventor do instrumento musical (Gênesis 4:21).

Muitas igrejas não permitem a utilização de alguns instrumentos musicais. O interessante, é que não existe base bíblica para tal limitação; muito pelo contrário, estão é ignorando certas passagens bíblicas. Observamos na Palavra a recomendação de usarmos os mais variados instrumentos possíveis no louvor.

Na Palavra de Deus existe recomendações a usarmos instrumentos percursivos (adufes) como pandeiros, tamborins, e tantos outros; a um instrumento um pouco mais "clássico" como a harpa e a flauta. Encontramos outros estilos como os chamados "címbalos altissonantes" (Metais do tipo: pratos e triângulos). Na realidade, o que deve existir é uma consagração do instrumento ao Senhor. Existem pianos, (e o piano é um instrumento aceito em quase todas as igrejas), que são inadequados para o louvor de Deus, por que foram destinados ao uso profano. Da mesma forma os instrumentos consagrados à obra do Senhor, jamais poderão servir para outra finalidade, a não ser a de louvarmos a Deus (ver, Levíticos 27:28-29).

 

4º) Pode haver gestos de coreografia e danças no louvor?

 

"E Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor; e estava Davi cingido dum éfode de linho. Assim Davi e toda a casa de Israel subiam, trazendo a arca do Senhor" (2 Samuel 6:14-15).

"Então Miriã, a profetisa, irmã de Arão, tomou na mão um tamboril, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris, e com danças"(Êxodo 15:20).

 

Esta questão é bem complicada. A dança é ou não é pecado? Se é pecado, como, explicar tantas passagens bíblicas que descrevem a dança como um ato normal? Os israelitas dançavam em todas as festas. Não existe nenhuma passagem bíblica do tipo: "Não danceis... " ou "quem dançar não alcançará a vida eterna". Muito pelo contrário, a exortação bíblica e a de exultação, que significa "pular ou saltar de alegria, sentir grande alvoroço" (ver, 1 Pedro 1:8; 4:13; Apocalipse 19:7 e refs. ).

 O grande problema da dança em nossos dias, e por esta razão ela não pode ser comum entre os cristãos, é a sensualidade embutida nela. Satanás conseguiu distorcer o significado original da dança, e quando a maioria das pessoas dançam, é com uma tremenda malícia sexual na mente.

Mas em muitas igrejas, a dança é usada no louvor. Na maioria dos países africanos, onde o evangelho já se faz presente, a dança faz parte da liturgia do culto.

A dança é verdadeiramente, uma expressão belíssima de louvor a Deus. A dançarina (ou dançarino) deve viver na presença de Deus da mesma forma que o cantor e o músico. Na realidade tudo o que fazemos para o louvor da glória de Deus, deve ser feito com amor e no domínio do Espírito, assim há edificação.

 

5º) Pode-se bater palmas?

 

"Batei palmas, todos os povos; aclamai a Deus com voz de júbilo" (Salmo 47:1).

Muito se discute se bater palma é ou não permitido por Deus. Alguns conservadores afirmam que este texto bíblico é interpretado errado por esta nova geração de adoradores. Segundo eles, as palmas referidas no Salmo 47 não é um ato feito com as palmas das mãos, mas sim, com o vegetal que possui este nome. Se assim deve ser interpretado este texto bíblico, devemos sair por ai e tratar de arrumarmos mudas de palmas e plantarmos um jardim de palmeira dentro ou próximo da igreja. Eu não consigo ver Deus tapando os olhos e os ouvidos diante de uma igreja que o saúda com palmas. Muitos salmistas (Davi seria o primeiro) seriam expulsos ou excluídos de algumas igrejas conservadoras.

Se tantos homens, pecadores indignos, são saldados com palmas, porque não Deus? O louvor quando acompanhado de palmas (espontâneas), chegam a abalar as estruturas do inferno. As palmas podem ser usadas no acompanhamento das músicas; após as músicas; na mensagem, quando uma verdade sobre Deus é proferida levando, pelo Espírito, a congregação a aplaudir; após um testemunho, onde Deus é glorificado; etc. As, palmas na igreja, devem, unicamente, glorificar a Deus. Se o músico achar que o louvor é para ele, corre um terrível "risco mortal", porque Deus não divide este privilégio com ninguém. A Ele seja a glória o e louvor eternamente!!!

 

 

 

Bibliografia:

  • João A. de Souza Filho, O ministério de louvor da igreja.
  • O. S. Boyer, Pequena Enciclopédia Bíblica.
  • Buckland, Dicionário Bíblico Universal.
  • Comunidade da Graça, A influência da música na igreja.
  • Comunidade da Graça, Cantando a Palavra de Deus.
  • Comunidade da Graça, Reciclando a visão.
Compartilhar
1 Fan

Faça um comentário!

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.
Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (50.16.165.62) para se identificar     

Nenhum comentário
O ministério de louvor na igreja


Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para falandoseriotv

Precisa estar conectado para adicionar falandoseriotv para os seus amigos

 
Criar um blog